segunda-feira, 12 de março de 2012

Nórdicos

Dia 1 de Março parti de Istambul para Riga, com o destino final Helsínquia. Passei essa noite em Riga, num hostel, que nunca teve água durante a minha estadia e com um cheiro estranho. Tive tempo de ainda ver a cidade, bastaram duas horas para percorrer a Old Town, é uma cidade interessante, com as mulheres mais bonitas que alguma vez vi, mas também com algumas pessoas um tanto ou quanto estranhas. No dia 2 parti para Helsínquia, a cidade tem pouco para ver, e praticamente estava cheia de neve e gelo, mesmo assim consegui passar os dias sem dar uma queda. Os Finlandeses são um povo estranho, durante a semana só vêem trabalho ao fim de semana acabam aos tombos na discoteca, mas sempre muito sozinhos, não se vêem muitos finlandeses em grupos. O Estado lá controla a venda de bebidas alcoólicas, e não gostam muito de estrangeiros, mas os romenos que andam na rua a tocar musicas são os únicos que animam aquela cidade. E em Helsínquia existem muitos centros comerciais, praticamente colados uns aos outros, pior que em Portugal acreditem. Acho que temos muito a aprender com eles mas eles também têm coisas a aprender connosco. Estive dois dias em Estocolmo, fui de avião desde Helsínquia, os suecos não têm nada a ver com os finlandeses, são muito mais simpáticos e sociáveis. As coisas são caras, dou o exemplo do McDonald que me custou 10€ um menu, mas museus, e igrejas para visitar são baratas. A noite passei num Hostel que era um barco, gostei do conceito, mas o quarto não tinha grande espaço. De volta a Helsínquia, embarquei num barco da Viking Line, que mais parecia um cruzeiro e em 2h30 estava em Tallinn, capital da Estónia, é uma cidade pequena, medieval, bastante agradável, e as coisas são mais baratas que em Helsínquia. De Tallinn apanhei um autocarro durante a noite para Vilnius, capital da Lituânia, e a cidade onde eu tinha sido primeiro colocado para fazer Erasmus, mas depois pedi para trocar para Istambul. Vilnius tem imensas coisas para se ver, tive a oportunidade de estar na universidade que é Histórica, como a nossa Universidade de Coimbra. A cidade tem partes um bocado degradadas e os autocarros são velhos, mas já se viam a crescer novos edifícios, daqui a uns anos a cidade deve melhorar. De Vilnius voltei a Riga, e depois até Tallinn novamente, onde passei a noite numa discoteca, e pode comprovar mais uma vez que aqueles países têm das noites mais loucas da Europa, sendo que Helsínquia deve ganhar como a noite mais louca de sempre. Embarquei novamente na Viking Line até Helsínquia onde fiquei mais dois dias até regressar a Istambul hoje.

2 comentários: